Imprimir


Sobre

Prezados Acadêmicos:
Este Manual é destinado aos alunos de graduação e contém informações de relevante importância para a vida acadêmica nas Faculdades Integradas de Botucatu – FIBs, mantidas pela UNIFAC – Associação de Ensino de Botucatu. Em especial, é importante destacar que o manual, contém toda regulamentação que rege o comportamento acadêmico dos discentes, sendo imprescindível a leitura atenta e apreendam, não apenas a regulamentação em si, como também a filosofia que tem permeado seu estabelecimento.
Conforme pode ser observado, alguns trechos dessa regulamentação estão destacados em negrito, visando chamar a atenção para alguns dos pontos que devem ser cuidadosamente observados, pois estar bem informado quanto às normas de funcionamento é fundamental para que os acadêmicos possam se situar e se planejar adequadamente, visando um eficiente aproveitamento de sua permanência na Instituição.
Certos de que nosso objetivo será atingido através da leitura atenta por parte do Corpo Discente, colocamos este material disponível para a comunidade acadêmica das Faculdades, para que, através das consultas , tenhamos a possibilidade de aperfeiçoar as relações entre a Área Administrativa e o Corpo Discente.

Prof. Dr. Leone Antonio Simonetti
Orientador Acadêmico das FIB´s/UNIFAC

Informações Gerais

Setor
Horário de Atendimento
Informações Gerais

Avaliações

Critério de Avaliação do Rendimento da Freqüência
As FACULDADES INTEGRADAS DE BOTUCATU têm como referencial de avaliação o disposto no Título IV – Do Regimento Escolar e Didático, Capitulo V – Da verificação do Rendimento Escolar, artigos 40 a 46:
• Regime Semestral: Entende-se por regime semestral aquele em que os ciclos das disciplinas serão integralizados em um semestre letivo. Portanto no semestre letivo constarão três avaliações e um exame final, com notas no intervalo de zero a dez, admitindo o decimal 0,5 (meio).
• O aluno estará aprovado, independentemente de exame final, quando na soma das notas bimestrais obtiver média igual ou superior a 7,0 (sete), desde que ele tenha freqüentado pelo menos 75% das aulas.
• Não existe arredondamento de nota na média.
• Para ser considerado aprovado, após o exame final, o aluno deve obter média final igual ou superior a 6,0 (seis).

Critério de Avaliação do Rendimento
A avaliação do rendimento escolar do educando/a, salvaguardado o critério escolhido pelo professor/a, deverá cumprir a seguinte concepção de avaliação que engloba o curso, como segue:
1. Avaliar o desempenho escolar, ou seja, avaliar as competências em desenvolvimento dos futuros profissionais dos diversos cursos, é verificar não apenas se assimilaram os conhecimentos necessários mas também se, quanto e como eles se mobilizam para resolver situações problemas, reais ou simuladas, relacionadas, de alguma forma, com o exercício profissional.
2. A avaliação do desempenho escolar, parte integrante do processo ensino – aprendizagem, é feita por disciplina e incide sobre a freqüência e o aproveitamento escolar.
3. Para a avaliação do desempenho escolar o aluno será submetido a verificações parciais, multidisciplinares e exames finais.
4. Para aferição das notas, de acordo com as normas regimentais, o professor pode submeter o aluno a formas diversas e continuadas de verificação do rendimento escolar, como observação sistematizada, provas escritas, projetos, relatórios, seminário, painéis, pesquisas bibliográficas e de campo, estudos de casos e outros mecanismos de avaliação, cujo resultado deve culminar com uma nota representativa para a 2ª avaliação parcial, semestral.
5. Compete ao professor da disciplina elaborar os exercícios escolares, as provas intervalares, a prova multidisciplinar e os exames finais, determinando as demais formas de avaliação as quais os alunos devem ser submetidos, assim como aferir os resultados.

Sistema de Avaliações
As avaliações cujos resultados deverão ser encaminhados à Secretaria das FIBs, são as seguintes:
• 1.ª Avaliação do Semestre - deve aferir o processo de ensino-aprendizagem e será constituída por uma prova individual, com data prevista em Calendário Escolar . A avaliação é de responsabilidade do docente e com valores variando de 0 a 10.
• 2.ª Avaliação do Semestre – deve aferir o processo de ensino-aprendizagem, sendo constituída por provas individuas ou em grupo, trabalhos, seminários, pesquisas, etc. É de total responsabilidade do professor, cabendo ao mesmo encaminhar o resultado desta avaliação no final do semestre letivo.
• 3.ª Avaliação do Semestre – será elaborada sob a forma de uma Prova Multidisciplinar (PMD). Reunirá o conteúdo de todas as disciplinas ministradas no semestre (acumulativa) e o resultado auferido nesta avaliação será atribuído a todas as disciplinas que o aluno esteja cursando, visando a resolução de situações-problema.

Média Final Atribuída ao Discente
• A média final do discente será a média aritmética da 1.ª, 2º e da 3.ª Avaliações do Semestre, conforme expresso a seguir:

 

As notas oriundas das diversas avaliações somente serão informadas diretamente pela Secretaria das FIB´s, utilizando os meios habituais.

Frequência

Frequência
• A freqüência às aulas, para alunos matriculados e/ou que venham a matricular-se, será computada a partir do inicio do ano letivo.
• O aluno estará reprovado quando não cumprir a freqüência mínima de 75% (setenta e cinco por cento) às aulas e demais atividades de cada disciplina sendo-lhe inclusive vedada a prestação de exames finais.
• A responsabilidade integral pelo apontamento de freqüência do aluno é do professor, que registrará as faltas no Controle de Freqüência, enviando à Secretaria diariamente.
• A Secretaria publicará os Registros de notas e faltas. Fora dessa condição, o aluno deverá requerer o Boletim Escolar junto à Secretaria, mediante protocolo e pagamento de taxa.
• Limite de 25% - O aluno deverá assistir 75% das aulas ministradas. A margem de tolerância é de 25% de faltas, devido a atrasos, ausências voluntárias, viagens a serviços e outros.
Assim:

Disciplina - nº de aulas
Semana
Semestre
Presença Obrigatória
Máximo de Faltas

A legislação estabelece que qualquer falta lançada no Registro de Freqüência pelo professor não poderá em nenhuma hipótese, ser retirada, não tendo autoridade para “aboná-la” nem mesmo o professor que registrou a falta (Parecer 261/67), o Secretário e o Diretor. É vedado inclusive aos dois últimos, solicitarem ao professor que o faça.
* PARA CONTROLE PESSOAL, CABE AO ALUNO ANOTAR SUAS FALTAS E NOTAS. NÃO HAVERÁ INFORMAÇÃO VIA TELEFONE OU GUICHÊ DA SECRETARIA

Abono de faltas
Não haverá abono de faltas, qualquer que tenha sido a razão da ausência, exceto aos casos especiais previsto por lei.

Casos Especiais
As exceções nos abonos de faltas no ensino superior, são relativas a Serviço Militar Obrigatório (Decreto Lei 4.375/64) e à Participação de estudantes em Congressos Científicos, competições artísticas ou desportivas de âmbito nacional nos estritos termos estabelecidos em legislação especial; deve ser solicitado junto à Secretaria das Faculdades, em requerimento próprio, anexando-se os atestados competentes:
OBS: Cabe reiterar que não há abono ou justificativa de faltas por motivo de ENFERMIDADE ou de GESTAÇÃO. Nestes dois casos o que a legislação pertinente estabelece é a compensação de ausências às aulas pela apresentação de trabalhos.

Exercícios Domiciliares (Licença Saúde/Gestante)
O regime de exercício domiciliar é garantido:

1º À aluna em estado de gravidez, por um período de três meses, a partir do 8º mês, com possibilidade de antecipação ou prorrogação a critério médico (Lei 6202/75).

2º Ao aluno em situação de incapacidade física não compatível com os trabalhos escolares, “mas com condições intelectuais necessárias ao prosseguimento da atividade escolar” (Dec. Lei 1044/69).
Para operacionalização do Decreto LEI 1044/69 estão estabelecidos os seguintes critérios:

1. Não será concedido regime de exercício domiciliar quando o período de afastamento das aulas for inferior a 15 (quinze) dias;

2. O regime de exercício domiciliar será requerido na Secretaria das Faculdades, dentro de um prazo de 48 horas após constatação do fato, em impresso próprio. Deve-se anexar o comprovante médico, onde deve constar o CID, o início e o término do atestado;

3. Para o retorno às aulas deverá ser apresentado à Secretaria um comprovante médico atestando a plena capacidade para os atos escolares.

4. Cabe ao aluno ou ao seu representante fazer contato com a Secretaria, a fim de receber os exercícios dentro do prazo estabelecido;

5. Não será concedida autorização retroativa, isto é, após o requerente estar recuperado da situação física – patológica;

6. Não haverá regime de exercício domiciliar para estágios;

7. Os trabalhos compensarão a freqüência às aulas durante o período excepcional e possibilitarão prestar em outra data as provas que incidirem no período de afastamento. O aluno deve requerê-las em impresso próprio fornecido pela Secretaria das Faculdades;

8. Os casos especiais serão avaliados pela Orientação Acadêmica.
• A Secretaria procederá à tramitação do processo que terá o parecer conclusivo da Orientação Acadêmica, comunicando o fato aos professores do curso do requerente.

Matrícula

A matrícula deverá ser feita no início de cada semestre do curso optado pelo aluno. Cabe informar que os cursos oferecidos pelas FIBs somam oito semestres cada um.
O aluno deverá apresentar os documentos pertinentes ao processo de vinculação ao curso, observando o calendário escolar.
A não matrícula no semestre subsequente implicará na interrupção do vínculo com as FIBs.

Regime Financeiro
As mensalidades têm seu vencimento no DIA 5 DE CADA MÊS.Quando esta data ocorrer no domingo, o pagamento deverá ser feito no próximo dia útil subseqüente a data.
As mensalidades regulares deverão ser pagas somente nas agências bancárias autorizadas.
O “Boleto Bancário” mensal será encaminhado diretamente ao endereço residencial. Caso não tenha sido recebido até 3 dias antes do vencimento (dia 5 de cada mês) deve ser feita comunicação urgente à tesouraria para emissão da 2.ª via. Não será emitido a 2.ª via do “Boleto” no dia do vencimento. A emissão de 2ª via junto à tesouraria terá taxa adicional.
Atenção:

A premiação (descontos) para os alunos que pagarem suas mensalidade até o prazo estabelecido em “Boleto Bancário” terá validade somente quando for quitada junto aos Bancos Credenciados.

O competente recibo da mensalidade paga mediante cheque, terá validade após a compensação desse documento. O cheque devolvido implica que a mensalidade não foi quitada portanto, passível de ser cobrada com a respectiva multa, além dos emolumentos financeiros que caracterizam esse ato.

O cheque devolvido pela segunda vez será cobrado pelo Departamento Jurídico da Instituição, com os acréscimos pertinentes a esse caso.

A não freqüência às aulas não isenta o aluno das mensalidades, caso continue regularmente matriculado.
Não haverá, sob qualquer hipótese, aproveitamento de valores já recolhidos na Tesouraria. Por isso, antes de utilizar o requerimento de serviços especiais, deve-se observar rigorosamente o preenchimento.

O abandono do curso em que está matriculado implica em débitos seqüentes. Para evitar esse procedimento deve-se recorrer ao trancamento ou cancelamento (vide prazos estipulados). Ex.: O aluno que abandona o curso após a matrícula torna-se inadimplente, devendo quitar todas as mensalidades até o momento do acerto na Tesouraria, mesmo sem nunca ter freqüentado.

Regime Escolar
= TRANCAMENTO DE MATRÍCULA =
• O trancamento consiste na interrupção, a pedido do aluno, de todas as suas atividades acadêmicas, ou de parte delas, por um período letivo determinado.
• O trancamento tem validade apenas até o final do período letivo em que foi requerido.
• A não matrícula no período letivo subseqüente ao trancamento será considerada como abandono de curso.
• Não será permitido trancamento total ou parcial aos alunos dos primeiros períodos de cada curso e sim o cancelamento da matrícula.
• O aluno que requerer o trancamento deve efetuar o pagamento das parcelas até o mês de solicitação do trancamento, inclusive.
• O trancamento total ou parcial de disciplinas não será concedido ao aluno que estiver em débito com a seção de finanças da Faculdade.
Procedimentos:
1. Protocolar em impresso de Serviços Especiais na Secretaria das Faculdades o trancamento integral ou parcia. Após 05 (cinco) dias úteis tomar ciência do deferimento na Secretaria.
2. Não havendo o retorno do requerente no prazo estabelecido, a solicitação ficará sem efeito. Assim, o aluno continuará matriculado na(s) disciplina(s), arcando com presença(s), falta(s) e mensalidade(s).

= CANCELAMENTO DE MATRÍCULA =
• O cancelamento de matrícula consiste no desligamento, a pedido do aluno, de todas as suas atividades acadêmicas.
• O aluno que tiver interrompido seu curso por cancelamento não poderá retornar ao Curso sem novo Processo Seletivo.
• O cancelamento não será concedido ao aluno que estiver em débito com a seção de finanças da Faculdade.
Obs.: O aluno que não requerer trancamento nem cancelamento de matrícula e simplesmente “abandonar o curso” continuará sendo aluno regularmente matriculado, reprovado por faltas e sujeito a todos os pagamentos mensais. Estará em débito até o final do período referente à matrícula.

APROVEITAMENTO DE CRÉDITOS
Nos termos da legislação em vigor é permitida a dispensa de disciplinas (aproveitamento de estudos) cursadas com aproveitamento satisfatório em outro curso superior.
Para que o aluno seja beneficiado com essa dispensa deve apresentar, no ato da matrícula, requerimento acompanhado de Histórico Escolar do Curso Superior e cópias dos programas, autenticadas pela Faculdade de origem para análise da Secretaria.
Não serão aceitos pedidos formulados posteriormente à data fixada pelas FIBs (ver Calendário Escolar).
Até sair o resultado, o aluno deve cursar normalmente os créditos iniciais para não ser prejudicado na eventualidade de indeferimento.

Dependência
O aluno com dependência em até três disciplinas poderá ser promovido ao período seguinte do curso.
O aluno que não atender ao estabelecido no artigo anterior será reprovado, devendo cursar novamente o período, sendo dispensado das disciplinas que tiver obtido aprovação.
O aluno fica obrigado a submeter-se as verificações parciais e multidisciplinares e a exame final naquelas disciplinas que cursa em regime de dependências.
Ao final de cada período letivo, caso o aluno tenha ficado em dependência, deverá cursá-la no ano subseqüente para dar continuidade a seus estudos.
Para o ÚLTIMO PERÍODO DE CURSO, o aluno poderá acumular apenas DUAS DEPENDÊNCIAS. Em caso contrário, com mais de duas dependências, o aluno deverá cursá-las para poder dar prosseguimento ao curso.
Regime Especial de Dependência (DP Tutorada) somente será autorizado aos alunos que reprovarem por nota (é necessário freqüencia mínima de 75% das aulas).

Calendário

Calendário Escolar
O ano letivo, que independente do ano civil, terá a duração mínima de 200 (duzentos) dias letivos, excluídos os dias destinados aos Exames Finais.
O Calendário deverá ser analisado e aprovado anualmente pelos Coordenadores de Curso.
Segunda Chamada (Ou Prova Substitutiva)
O aluno que não comparecer às avaliações marcadas pela Secretaria, poderá requerer segunda chamada ou prova substitutiva.
A segunda chamada deve ser solicitada em caso realmente necessário. O requerimento deve dar entrada na Secretaria das Faculdades dentro do prazo (improrrogável) estabelecido no calendário escolar, após o preenchimento do requerimento fornecido pela Secretaria das Faculdades e recolhimento da taxa correspondente na Tesouraria das Faculdades.
Será permitida a realização das Provas Semestrais, sob regime de 2ª chamada, quando estiver relacionada com as razões a seguir:
• Exercícios ou manobras efetuadas na mesma data em virtude de matrícula no NPOR (Lei nº 4.375 de 17.08.64);
• Doença impeditiva do comparecimento, confirmada por atestado médico;
• Luto pelo falecimento de ascendentes e descendentes diretos e cônjuge, a partir da data do óbito, até 3 dias;
• Outras justificativas previstas em Lei, como o comparecimento perante a justiça;
• Será admitida declaração de empresa justificando a ausência as provas, desde que, a declaração contenha o carimbo do CGC e a assinatura da direção da empresa.
Não é permitida a solicitação de mais de uma 2ª chamada por disciplina no semestre. Por exemplo: o acadêmico que perder duas provas da mesma disciplina no semestre, estará automaticamente com zero em uma delas.
O período de realização de 2ª chamada consta no calendário escolar.
ATENÇÃO: EM NENHUMA HIPÓTESE HAVERÁ 2ª CHAMADA PARA EXAME
Observações:
Alunos(as) amparados(as) pelas Leis 1.044 e 6.202, isto é, com compensação de ausências por doença ou gestante, quando o período de afastamento coincidir com o período de provas, estas deverão ser requeridas em 2ª chamada.
O pedido para realização da 2ª chamada será encaminhado à Diretoria de Graduação, para competente análise e devida autorização.
Em nenhum caso de solicitação de 2ª chamada haverá abono financeiro.

Comentários Sobre as Avaliações
Após a correção das provas e/ou trabalhos as provas deverão ser comentadas pelo professor a fim de que sejam sanadas as dúvidas, e se complete o processo de avaliação.
O acadêmico que estiver ausente no dia do comentário perderá o direito ao comentário da prova.
As provas realizadas em turmas par e ímpar NÃO poderão ser mudadas, a não ser com autorização prévia 
Orientação Acadêmica, em requerimento solicitado na Secretaria das Faculdades.

Revisão de Provas e Exames
Os pedidos referentes à revisão de provas, serão formalizados em requerimento próprio fornecido pela Secretaria das Faculdades.
NÃO HÁ REVISÃO DE EXAMES.
O prazo para a competente solicitação é de 05 (cinco) dias corridos, a contar da publicação das notas pela Secretaria das Faculdades.
O requerimento será dirigido à Orientação Acadêmica das Faculdades à qual a Secretaria informará a situação escolar do aluno.
O Diretor de Graduação marcará o dia e a hora para a revisão que deverá contar com a presença do professor da disciplina e do aluno solicitante.
O despacho do professor, após a análise, deve retificar ou ratificar a nota dada; após despacho final da Diretoria de Graduação, o processo deve retornar à Secretaria para providências necessárias.
Atenção: no requerimento referido, o aluno interessado deverá obrigatoriamente, expor, de modo sucinto, as razões do pedido, indicando os pontos que devem ser revistos.
• NENHUM REQUERIMENTO SERÁ DEFERIDO SE ESTIVER FORA DO PRAZO

Transferência Externa
No caso de transferência das FIBs para outras instituições de ensino, o aluno deverá fazer o requerimento em impresso próprio fornecido pela Secretaria das Faculdades, juntando os documentos competentes.
Não será concedida transferência a aluno que esteja respondendo a inquérito administrativo, cumprindo penalidade disciplinar ou cursando o primeiro ou o último período letivo do curso, excerto nos casos previstos em lei.
O prazo para efetuar esse ato legal é regido pela legislação vigente. Portanto, o aluno deverá estar em dia com todas as mensalidades.

Prazo para Emissão de Documentos
Depois de requeridos em impresso próprio fornecido pela Secretaria das Faculdades de todo e qualquer documento deverá ser expedido no prazo de 03 (três) dias úteis.
Obs.: Assinaturas de convênios, Termos de compromissos e similares (estágios CIEE e demais),
terão prazo de 02 (dois) dias úteis.

Disciplina

Regime Disciplinar
Constitui infração disciplinar por parte do aluno:
• algazarra ou distúrbios;
• altercação ou rixa;
• injúria, calúnia ou difamação;
• agressão física;
• danificação de material escolar, móveis, utensílios e objetos em geral, bem como, edifícios,
parques, jardins ou outras dependências das FIBS;
• atentado à moral ou ao decoro;
• má conduta na instituição;
• improbidade no regime escolar;
• desrespeito, desobediência ou desacato às autoridades das FIBs;
• uso de bebidas alcoólicas e práticas de jogos na área da instituição;
• prática de qualquer ato sujeito à sanção penal;
• outros atos atentatórios à ética e aos bons costumes.
De acordo com a gravidade da infração cometida, o aluno estará sujeito a: repreensão, suspensão e desligamento.

Definições

Estágio Supervisionado
O Estágio Supervisionado é obrigatório para todos os alunos matriculados no último ano de cada curso e deve ser realizado em horário diferente daquele em que o aluno freqüenta as aulas.
Cada aluno está obrigado a integralizar a carga horária total de estágio, prevista em legislação específica. Se o aluno não completar durante o ano letivo a carga horária total do estágio prevista em lei, não colará grau. Deverá então, efetuar matrícula no ano seguinte, na série em que se encontrava anteriormente, para completar a carga horária exigida. Cada curso deve estabelecer suas regras e utilizar manual de estágio próprio.

Monografia e TCC
A Monografia constitui-se em atividade curricular obrigatória, sendo um trabalho de graduação, a ser elaborado pelo aluno sob orientação de um professor e submetido à aprovação por uma comissão de professores, designada pelas Coordenações dos Cursos.
Deste modo, a Monografia deste modo, constitui-se num trabalho científico de graduação, sobre um tema de livre escolha do aluno, dentro das diversas áreas. Devem ser desenvolvidos exclusivamente pelo aluno sob a orientação de um professor orientador.
O aluno poderá escolher um dos seguintes tipos de monografia:
1. ordenação de idéias baseadas numa bibliografia adequada e atualizada sobre o tema, onde o aluno deverá dissertar sobre a bibliografia pesquisada, destacando seus pontos relevantes e comparando-os.
2. realização de uma pesquisa empírica, confrontando seus resultados com a teoria existente.
3. análise crítica e comparativa de uma teoria ou modelo econômico já existente.
O T.C.C. (Trabalho de Conclusão de Curso) é “conditio sine qua non” para conclusão do Curso de Serviço Social, sendo objeto de orientação especial. É uma exigência para obtenção do título de Assistente Social. Trata-se de trabalho de natureza didática, elaborado a partir da vivência do aluno e com base nos conhecimentos adquiridos ao longo do curso.
Tem como objetivos:
1. Exercitar o aluno para refletir o Serviço Social e com isso conduzi-lo a garantir a unidade Teoria x Prática;
2. Capacitar o aluno a definir, problematizar e elaborar o TCC, com base em referencial teórico vivenciado, bem como a desenvolver uma análise crítica através de questionamento e proposição sobre o trabalho elaborado;
3. Dar oportunidade ao aluno de expressar seu crescimento enquanto ser, dentro do Serviço Social, de maneira reflexiva;
O TCC está estruturado de acordo com os seguintes componentes:
• Elaboração de trabalho científico;
• Diretrizes básicas – com orientação individual ou grupal;
• Projeto de Pesquisa – desenvolvimento e execução do trabalho da coleta de dados à estrutura
mecânica do trabalho;
• Análise do trabalho, revisão e redação final.

Colação de Grau
O ato coletivo de Colação de Grau dos concluintes dos cursos será realizado em Sessão Solene, em dia e hora previamente determinados pela Diretora Geral, sendo obrigatória a presença do formando.
Poderá ser conferido grau ao aluno que não tenha recebido o grau na época oportuna mediante:
• Requerimento na Secretaria;
• Definição de dia e hora pelo Diretor Acadêmico;
• Presença da Diretora Geral e de dois professores no ato da Colação de Grau;
Na Colação de Grau, a Diretora Geral tomará o juramento de fidelidade aos deveres profissionais que será prestado de acordo com as formas tradicionais do País.

Observações
As grades curriculares dos cursos oferecidos pelas FIBs constam do Regimento Unificado da Instituição, estando à disposição dos alunos na Biblioteca.

Disposições Gerais
Toda e qualquer solicitação à Diretoria das FIBs deverá ser feita através de requerimento fornecido pela Secretaria e protocolado na Tesouraria das Faculdades. O solicitante terá o prazo de 05 (cinco) dias úteis para tomar ciência da resposta na Secretaria das Faculdades.

Valores

Mensalidades 2017

Semestres

Valores

1º Administração

R$ 530,00

 

 

1º Ciências Contábeis

R$ 530,00

 

 

1º Educação Física

R$ 550,00

 

 

1º Pedagogia

R$ 420,00

 

 

1º Serviço Social

R$ 420,00

 

 

1º Gestão em Recursos Humanos

R$ 530,00

 

 

* A faculdade possui convênio com algumas cidades da região, proporcionando percentual de desconto sobre os valores praticados. Para usufruir desse desconto o aluno deverá residir há no mínimo dois anos no município.

Para mais informações entrar em contato com a secretaria da instituição (14) 3815-2500

 

Uso Lab. Informática

 

REGULAMENTO DO  LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA

               

I - FINALIDADE

O laboratório de informática  visa suprir as necessidades de seus usuários no que tange à área de desenvolvimento em informática.

 

II - ESTRUTURA

O laboratório de informática conta com 25 computadores ligados em Rede com acesso a Internet, Monitores, LG, CPU LG, Processador Intel, sistema Operacional entre 32 BIT a 64 BIT e memórias de 1 GB a 4 BG, uma impressora HP. Dispõe de ampla sala, com ar condicionado, quadro branco para exposição e projeção e boa iluminação.

 

III - HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO

De Segunda à Sexta feiras. das 07:00 às 22:40 horas e aos sábados das 08:00 às 12:00 horas

 

IV – UTILIZAÇÃO

Os Professores cujas disciplinas são ministradas no Laboratório de Informática já possuem reservas pré-agendadas para os dias em que dão suas aulas.

Os demais dias da semana são liberados para utilização dos outros professores para que façam uso. Neste caso, as reservas devem ser feitas com um dia de Antecedência junto a Recepção (controle de utilização).

Para pesquisa direta dos alunos, os mesmos também devem fazer a reserva. O responsável pelo Curso ou Assistente de Coordenação, ou a liderança  de sala devem acompanhar e se responsabilizar pela utilização.

Quando algum equipamento apresentar defeito, o responsável pela  utilização deverá comunicar à recepção por escrito, qual a máquina que apresentou o defeito e o tipo de mensagem ou ocorrência para que possa ser feito o reparo com a maior brevidade possível.

 

V - DOS DEVERES

O horário discriminado para o uso deverá ser respeitado.

Todo usuário para adentrar na sala deverá ser acompanhado por um responsável que permitirá a utilização  dos  equipamentos.

Ao término da atividade o usuário deverá deixar as cadeiras no lugar, os micros desligados e sujeiras no lixo.

Não é permitido, em hipótese  alguma,  a utilização do laboratório para outras finalidades que não sejam pesquisa e trabalhos acadêmicos.

É expressamente proibido o uso indevido da INTERNET, para navegar em sites proibidos (sites de mensagens apelativas, pornográficos, salas de bate papo, chat, entre outros); baixar programas que não sejam os já definidos.

Comer, beber, fumar, proferir palavras de baixo calão e outras formas de ofensa ao professor ou a seus pares ou ainda a funcionários administrativos.

No caso de desrespeito aos itens acima, as penalidades a serem aplicadas são as previstas em regimento, sendo em primeiro momento a proibição da utilização do laboratório.

No caso de quebra do equipamento por descuido, o usuário pagará pelo conserto  pelo mesmo.

 

 Regulamento do Laboratório de Informática

               (Download Clique aqui)

Portaria das Dependências

PORTARIA

Nº 008/2008

 

A Professora Cecília Tavares de Anderlini, Diretora Geral das Faculdades Integradas de Botucatu, mantidas pela Unifac – Associação de Ensino de Botucatu, no uso de suas atribuições conferidas pelo Regimento Unificado das Faculdades Integradas de Botucatu e considerando;

Propiciar a integralização de disciplinas em dependências aos alunos;

Estabelecer o período para a realização da integralização das disciplinas;

A necessidade de se efetuar  matrícula para as disciplinas autorizadas a funcionar;

RESOLVE

Artigo 1º. Os trabalhos administrativo-pedagógicos em sua organização e funcionalidade pertinentes à dependência, quando se fizer necessária, obedecerão às normas estabelecidas nesta portaria.

Parágrafo único: As dependências a que se refere este artigo são as de um para outro semestre, para prosseguimento dos estudos nos Cursos das Faculdades Integradas de Botucatu (FIBs).

Artigo 2º. Entende-se por dependência o conjunto de atividades prescritas pelas FIBs com o objetivo de criar e dirigir situações de aprendizagem a fim de promover o aproveitamento do aluno à disciplina em que não obteve aprovação.

Artigo 3º. O aluno que não atender ao estabelecido no Art.45 do Regimento das FIBs será reprovado e deverá se submeter aos Regimes Especial de Dependência (RED) ou Dependência Presencial (RP) no período subseqüente, sendo dispensado das disciplinas que tiver obtido aprovação.

    I-. No RED o aluno será submetido apenas as avaliações observadas no Artigo 41 do Regimento das FIBs, ficando dispensado de cumprir novamente a disciplina no caráter de Regime Presencial.

      II-. No RP o aluno deverá cumprir a disciplina em caráter presencial, no horário regular das disciplinas oferecidas.

    III- . No transcorrer dos semestres do curso o aluno terá apenas uma oportunidade de cumprir determinada disciplina em caráter RED. Não obtendo aprovação na primeira oportunidade deverá cumpri-la na forma RP no período subseqüente, conforme descrito no Art. 7.o.

     IV-. A dependência em RED deverá processar-se mediante um planejamento especial de estudos, indicado por docente responsável, com métodos e estratégias didático-pedagógicas adequadas, considerando os conhecimentos prévios do aluno na disciplina, embora não tenha obtido a devida aprovação.

     V-. A fim de manter o controle de qualidade do currículo implementado e a formação do profissional, no transcorrer dos semestres do curso o aluno não poderá ultrapassar o limite de até três disciplinas, de forma cumulativa, sempre observando a seqüência do currículo.

     VI- Alunos do 1º semestre, somente poderão fazer a matrícula para o 2º semestre, caso não tenham mais de 3 disciplinas a integralizar. Dessa forma deverá submeter-se ao Regime de Dependência conforme o Artigo 45 do Regimento das FIBs.

     VII-. Alunos do 2º semestre, somente poderão fazer a matricular para no 3º semestre, caso não tenham disciplinas do 1º semestre à integralizar.

     VIII-. Alunos do 3º semestre, somente poderão efetivar a matrícula para o 4º semestre, caso não tenham disciplinas do 2º semestre à integralizar.

      IX - Alunos do 4º semestre, somente poderão efetivar a matrícula para o 5º semestre, caso não tenham disciplinas do 3º semestre à integralizar

Artigo 4º. O aluno fica obrigado a submeter-se ao que dispõe o Artigo 43 e o Parágrafo 2º do Artigo 45 do Regimento das Faculdades Integradas de Botucatu, em Regime Especial de Dependência  (RED)

Artigo 5º. Alunos do último semestre só poderão ter uma disciplina a ser integralizada em caráter de dependência. Caso não integralize, poderá cursar no período subseqüente e assim obter o título de graduado.

Artigo 6º. Os componentes curriculares suscetíveis de dependência poderão ser cursados em cursos diversos, na Instituição, desde que haja correspondência de nomenclatura e conteúdo programático, de acordo com o professor responsável pela disciplina.

Artigo 7º. O aluno matriculado em regime de dependência deverá cursar, obrigatoriamente, o componente objeto da retenção, no semestre subseqüente.

Artigo 8º. O Regime Especial de Dependência (RED) somente será autorizado ao aluno que tiver sido reprovado por nota.

Esta PORTARIA entra em vigor na data de sua publicação, revogando as disposições em contrário.

 

Botucatu, 10 de junho de 2008.

 

 Professora Cecília Tavares de Anderlini

Diretora Geral

Faculdades Integradas de Botucatu

 

 

Regimento - FIB’s 2016 

 

Regimento das Faculdades Integradas de Botucatu – FIB’s 2016 - (Clique para Baixar)

UNIFAC - Associação de Ensino de Botucatu Mantenedora
Av. Leonardo Villas Boas, 351 - CEP 18608-227
Vila Nova Botucatu - Botucatu/SP
Fones: (14)3815-2500 | 3815-5845